DestaquesÉ FalsoSem categoria

É FALSO que Zé Francisco tenha sido acusado de desviar recursos do SUS em Capinzal do Norte

Dia 10 de Fevereiro foi divulgada uma “matéria” em um blog da cidade que já possui costume de publicar matérias de procedência duvidosa onde o blogueiro costuma “se enganar”, a matéria dizia que o pré-candidato a prefeito Dr José Francisco já havia sido acusado de desviar recursos do SUS em Capinzal do Norte.

A notícia É FALSA!

A “notícia”, que passou desapercebida na época da postagem, vem sendo espalhada repetidas vezes por grupos de oposição ao pré-candidato em grupos do mensageiro WhatsApp, algo que acabou por chamar a atenção da nossa redação, que contactou a assessoria jurídica do pré-candidato para ter acesso ao processo na íntegra, o que nos foi prontamente fornecido.

De fato, o Dr. José Francisco Lima Neres chegou a ser citado inicialmente no processo do TCU TC 010.517/2007-6 como sendo o “possível” diretor do Hospital onde houve a fraude, caso houvesse sido comprovado, o Dr José Francisco seria condenado a pagar R$4.217,24 Á União e mais uma multa de R$3.000,00, totalizando a quantia de R$7.217,24, um valor relativamente pequeno, que aparenta mais ser de perdas financeiras que de corrupção de qualquer forma.

Analisando o processo pudemos ver que não existia nenhum documento assinado pelo pré-candidato Dr. José Francisco como diretor do hospital, até mesmo nos contra-cheques dele constavam ele apenas como médico da referida unidade de saúde.

Após a citação inicial de seu nome, o único movimento de defesa feito pelo pré-candidato foi uma sustentação oral, afirmando com base em todos os documentos já existentes no processo que era apenas um médico que prestava atendimento no hospital e não Diretor ou membro da diretoria de qualquer forma, sedo que a resposta veio por meio do Acordão 1872/2016 – TCU – Plenário, que pode ser encontrado no Site do TCU pelo código: AC-1871-28/16-P.

De acordo com o documento que pode ser acessado clicando AQUI, o Dr. José Francisco fica excluído do rol de responsáveis e a partir da referida data a filha do então prefeito passou a ser responsabilizada pela Diretoria do Hospital.

Concluindo: O pré-candidato foi citado inicialmente no processo, mas bastou uma defesa oral por parte dele para que o erro fosse descoberto e seu nome fosse removido da lista de responsáveis, não foi um caso daqueles em que o político se livra da acusação por meio de manobras, mas sim, um caso em que um político acusa um médico para tentar se livrar, o médico se defende, os juízes descobrem o erro, inocentam o médico e punem os reais culpados.

Fake-News em ano de eleições é coisa comum, principalmente vinda de blogs partidários, como sabemos, não existe imprensa imparcial na cidade de Codó, nem na blogosfera e nem na mídia tradicional, o que não pertence a políticos, pertence à militantes desses políticos, esperemos que nos novos blogs e portais que tem surgido no ultimo mês sejam imparciais e chequem melhor suas fontes que a mídia já estabelecida, se assim for, ainda poderemos ver uma luz no fim do túnel no que se refere à imprensa codoense.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo